Logo_horizontal_transparente.png

Todos os instrumentos DISC são diferentes

Publicado em 13/12/2019 no LinkedIn

News - Tira Alessandra.png
Linha.png

Você sabia que cada fornecedor de avaliação DISC tem sua própria maneira de elaborar o questionário e analisar as respostas para gerar o seu perfil comportamental?

 

Pois é! Os instrumentos têm o mesmo nome, mas não são exatamente a mesma coisa.

 

A linguagem DISC nasceu com William Marston em 1928, quando publicou seu livro "As Emoções das Pessoas Normais", no qual descreveu detalhadamente toda a sua teoria de classificação do comportamento humano em quatro dimensões, conhecidas atualmente como Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade. Portanto, todas as avaliações DISC que encontramos no mercado, e mesmo algumas que não possuem este nome, têm como base, o trabalho de Marston.

 

E aqui é importante fazer uma observação: as avaliações DISC mensuram apenas, e tão somente, fatores comportamentais ob-ser-vá-veis; isto é, o como agimos. Elas não medem motivações, experiências, inteligência emocional, competências, visão de mundo, ética etc. É muito importante ter essa clareza, a fim de saber exatamente o tipo de informação a qual se tem acesso com um relatório desse tipo.

Ok, mas onde está a diferença então?

 

Bom, o fato é que nem Marston, nem sua família, registrou propriedade da teoria. E nenhum questionário foi desenvolvido na ocasião. Somente cerca de 20 anos mais tarde é que Walter Clark construiu o primeiro instrumento fundamentado na teoria de Marston, o AVA (Activity Vector Analyses), o qual, basicamente, era composto por uma lista de adjetivos a serem selecionados pelo respondente. A forma como é mais comum se encontrar hoje em dia, na qual a pessoa escolhe tanto a opção que melhor a descreve, quanto a que menos a descreve, foi desenvolvida um pouco mais tarde por John Cleaver.